Escrito por Valentina De Andrade   
Quinta, 13 de Maio de 2010 19:02

 

Passei a datilografar as extensas Revelações para estudar e decifrá-las, pois o teor das palavras divergia do costumeiro.

Querido, homem de grande cultura e inteligência, em pouco tempo interpretava os quebra-cabeças, passando a discorrer sobre o tema com a capacidade loquaz e dinâmica de um intelectivo. Embevecida, eu escutava suas explanações que me pareciam “russo.” Ele falava de modo dificultoso! “Abusava” da retórica e; quando me pedia um exemplo para saber se eu entendera, idealizava de maneira inadmissível para ele. Seu argumento era que as Individualidades atravessavam milhões de Anos-Luz para trazer-nos as Respostas e eu as exemplificava com simplicidade inadequada.

Para suavizar aquele vendaval de informações que faziam “voar” meu cérebro, não raramente, as Individualidades teciam contos simbólicos de raras belezas e inimagináveis pelo mais romântico ou apaixonado poeta.

 

1983.
Ainda aprendiz e não querendo que as Verdades ficassem tão somente em nosso poder, exponho para Querido minha intenção em divulgá-las, no objetivo único de ajudar a humanidade.

À noite falo com a Individualidade que me indaga se era realmente meu desejo. Admiti. Não havendo colisão, ficou decidido que partiríamos para a Argentina, levando nosso filhinho.

Vendemos nossos bens, (este não é o termo correto, praticamente, presenteei-os) e para lá nos dirigimos. Não tardou e Querido deu início a palestras que foram bem recebidas, chegando a reunir centenas de pessoas onde compareceram ufólogos, cientistas e curiosos.

 

 

Nas palestras ou conferências eu ficava de lado, escutando e aprendendo. Envaidecia-me ver a maneira como Querido dominava a complexidade do assunto.

Foram várias as entrevistas concedidas às televisões, jornais e rádios. Quanto à aceitação do público, nunca houve qualquer distúrbio.

Surge então um pequeno grupo de prosélitos que passaram a freqüentar onde vivíamos e ouvir as gravações. A cada vez soltavam exclamações de “descobertas” e entendimento dos porquês, que sem as Respostas não conseguiriam.

O grupinho foi crescendo tornando-se passo a passo, amigos e auxiliares das palestras quando retornamos ao Brasil. Aqui, alugamos uma casa e eles nos davam o prazer de suas visitas, assim como informes dos “estudantes” que iniciaram por conta própria, cursos e mais cursos, devido à procura pelos Conhecimentos, que assim o exigiu. Todos de natureza trabalhadora e classe mediana uniram-se e alugaram uma pequena sala onde transmitiam sem nada cobrar. A “vaquinha” entre eles era quem permitia (nem todos nascem mercenários). Aos poucos, desponta e cresce entre nós, uma sólida amizade.

 

1985.
Não querendo guardar egoisticamente as Revelações, decidi torná-las públicas, facultando à humanidade dispersar-se das incógnitas e gritos lamentosos de: “Por que meu Deus?” “Por quê?”

Foi então que às pressas e em poucos dias, escrevi e editei o livro: DEUS, A GRANDE FARSA, (deixando claro não me referir a Jesus) e lancei-o via televisão em programa ao vivo (cidade de S. Paulo) e de grande audiência. Aproveitei e forneci alguns dos Conhecimentos que considerei polêmicos, confusos e irreais nas crendices. Diariamente, eu retirava do correio, enormes caixas abarrotadas de missivas contendo agradecimentos e solicitações de maiores informações.

... a seguir, juntaram-se em outro programa televisivo, um padre católico, um pastor evangélico, um espírita e um rabino. Fui chamada de louca e alvo direto de muitos “elogios.” Espernearam, fungaram e cada qual queria opinar mais que o outro. Somente um deles manteve-se discreto no “julgamento.” Não muito depois me concederam um programa de rádio numa emissora local, onde dei continuidade às Revelações. A celeuma provocou uma crise nervosa nas instituições deterioradas que sem delongas entraram em ação contra mim. Contudo não me deixei abater e prossegui.

Frase propícia:

S. Agostinho:
“A Verdade deve ser divulgada, mesmo quando possa ser entendida como um escândalo.”

E eu a divulguei. Mas, “aves de rapina” unidas num execrável complot...

 

Para refletir.
Pensam os leitores que as Individualidades atravessaram de um Estado a outro como fazemos ao viajar, para vir contar pilhérias? As informações são sérias e derribam com absolutamente tudo o que nos foi inculcado. Os mistérios impenetráveis às razoes, brotam na “terra fértil” (mente descomprometida e aberta) com a mesma facilidade que germina uma semente sadia. Pode-se conceber facilmente, os gigantescos quebra-cabeças, pelos quais, cientistas, pesquisadores, físicos, astrônomos, astrofísicos, ufólogos e uns quantos mais, desesperam-se (?) por decifrar.

Não. Não me atribuam loucuras, ou entregue a mentiras.

Querido e eu que a tudo assistíamos e gravávamos, riamos da ignorância que mantém a tantos, como servientes. Constatem: Existe comprovadamente, disputa entre as religiões, para angariarem o maior número possível de adeptos. Por que, ao invés de rivalizarem, não buscam na fonte límpida, as Respostas que gratuitamente dispus e disponho aos interessados? Se em união o fizessem, os templos não comportariam as multidões que acorreriam. As Verdades estariam sendo propagadas, não existiriam diversificações e estariam unidos.

Observem: Àqueles que exercem o mando nas religiões, estão deitando a perder, milhões -inclusive de ateus- que seriam prováveis correligionários. E talvez se perguntem qual o motivo que me impede fazer o proposto? Pelas sintetizadas narrativas, facilmente concluirão as conseqüências com as que mais ainda eu seria “gratificada,” enquanto que aos religiosos ninguém perseguiria ou acusariam de bruxos, assassinos, loucos e fundadores de seitas satânicas. Estarei errada em assim conjeturar?

Analisemos: Vivemos tempos onde a real inocência ficou para trás. As crianças vão sendo instruídas sobre a gestação, nascimento, a inexistência de Papai Noel e, salvo pequenas exceções, repetem abertamente palavrões! Adolescentes dormem com seus namorados nas próprias casas, com a anuência dos pais! Respeito? Pouco se vê.

Então, por que não capacitar à humanidade, o direito de conhecer as Verdades? Por que não retroceder no que se vê deteriorado e mal-cheiroso? Por que não aproveitar à regalia de saber e retransmitir? Que os impede? Coloco apenas duas suposições: Preconceito de vir a mim por eu ser mulher? Não crêem que sou legítima portadora dos Altos Conhecimentos? Se assim pensam, indague-se de onde eu tiraria as Respostas que venho ofertando. E se me consideram superdotada estarão errando, porque não o sou.

Recordem frases lidas à amiúde, que não conseguiram detectá-las:
... “Falará o que ouviu.

Sim... sofri horrores, mas falei e continuarei transferindo o que ouvi. Não concebo como podem desertar ao que lhes faculto! Usem da razão amortecida: Desde que obtivemos capacidade de raciocínio, nos empurraram a crer em cousas que ninguém pôde esclarecer. Quem definiu os enigmas e com absoluta nitidez, a frase: “A verdade vos libertará?” Eu, que não a usurpei ou guardei em sigilo. Já se detiveram a pensar profundamente sobre o significado: “Crescei-vos e multiplicai-vos?” Não significa procriar, mas ampliar as mentes e difundir os Altos Conhecimentos Universais.

Ninguém Surgiu do pó, da terra ou qualquer costela. E tampouco, o mundo foi construído em sete dias! A era de Adão e Eva ruiu. Não desperdicem o tempo. Não o atirem ao lixo, porque ele é carrasco e tem por costume, não voltar. Acordem!

Retornem à Luz, Triunfantes e não; de Rastos e Submissos.

 

Certa vez em conversa com um dos mais antigos Mestres e Valoroso Guerreiro, disse-lhe da minha preocupação referente à Missão que cumpro, se eu corresponderia ao que de mim esperavam. Em resposta, obtive as seguintes palavras:

“Empenhei Minha Existência na tua Vitória.” “E não somente Eu, o Fiz. Milhões de Individualidades, também.”

Abismada, perguntei: “Como Atuaram assim? Estou na matéria e poderia fracassar.”

Ele sorriu e respondeu: “Um Guerreiro conhece a outro pela maneira de segurar a 'espada'.” “Deitei uma no chão.” “Você saiu à procura, encontrou, levantou-a, e sem temer, saiu levando as Verdades e guerreando contra consciências e Energias danificadas.”

Não cito por orgulho, mas pela frase que considero linda!

 

Aproveito e transcreverei, uma, dentre as tantas manifestações cósmicas que possuo.

 



Actualizado: Segunda, 29 de Outubro de 2018 20:09
 
Banner