Escrito por Valentina De Andrade   
Quinta, 13 de Maio de 2010 19:02

 

JULGAMENTO DE VALENTINA DE ANDRADE.

19 de Nov. de 2003.

Desnecessário comentar sobre o alvoroço ante tal notícia ansiosamente esperada para sacrificarem o “Bode expiatório.” Entretanto, sentia-me tranqüila.

As 04h da manhã eu já me encontrava à beira da cama aguardando o chamado para ser levada ao julgamento. Cerca das 06h e sempre algemada, eu era transportada ao tribunal por uma agente, enfermeira e guardas armados, meio a carros e o costumeiro alarido. Em lá chegando ficava horas numa grande sala, onde finalmente tomava um café respeitável acompanhado de frutas e pães, enviados por meu marido. Enquanto desfrutava o desjejum, permanecia ao aguardo dos advogados, juiz, auxiliares, estagiários, promotores, oficiais de justiça, médicas, agentes federais, inumeráveis policiais, agentes graduados, inclusive representantes do Ministério da Justiça e Direitos Humanos de Brasília, que a tudo acompanharam junto ao público. O início para o julgamento estava marcado para as 08h, o que nunca foi cumprido, principiando comumente as 09h. Pouco antes desse horário, entrava a promotora que dizia de modo acintoso:

“Boomm diiiaaa dona Valentina.” Nunca respondi, notando que a saudação era nítida máscara de escárnio, como também inadequado a quem se dispusera e deleitava massacrar-me. Em seguida colocava-se diante de seu pequeno espelho, retocava a maquiagem e altiva, sorridente como absoluta da vitória, desaparecia rumo ao plenário.

O senhor juiz tinha dependurada sua Beca exatamente diante de onde eu ficava, e ali, era auxiliado a vesti-la. Não me olhava ou cumprimentava, mas em poucos dias sua Beca foi transferida para um lugar mais distante. Analiso: Sua consciência o advertiria das injustiças a que me via submetida? Por que naquela sala onde muitas vezes nossos passos se cruzaram, sempre evitou encontrar-me frente a frente, ou passar a meu lado? Talvez, seu âmago admitia remorsos, ciente da minha inocência.

Entre advogados contratados, advogados renunciados e outros dispensados, permaneceram:

 



Actualizado: Segunda, 29 de Outubro de 2018 20:09
 
Banner