Escrito por Valentina De Andrade   
Quinta, 13 de Maio de 2010 19:02

 

AS “VOrTAS” QUE O MUNDO DÁ.

 

E foi há uns 18 anos que frente a este mesmo lar, ao aproximar-me da janela vi passar uma camionete aberta sob a qual, alguém se utilizando de uma filmadora registrava minha residência. Por ser a época onde os rumores davam início às maledicências, suspeitei de algo indevido, mas fiquei na suspeita. Poucos minutos após, fui avisada por pessoas amigas de que em um determinado programa televisivo, o apresentador denominado de Barbosa Neto havia tocado meu nome e o bairro onde vivo, de forma pejorativa e sarcástica. Não acostumada a assistir a referido programa, a suspeita se desfez e sem delongas comuniquei ao meu advogado londrinense, Dr. Antônio C. de Andrade Viana que imediatamente dirigiu-se à emissora, munido das medidas cautelares que a lei propicia a todo cidadão que se veja ofendido. Ao dia seguinte, junto a meu marido (Teruggi) e amigos, postamo-nos frente ao televisor. O apresentador, impedido de voltar a mencionar meu nome, surge com os olhos fuzilando de raiva e diz: “A senhora contratou excelentes advogados!” Abrindo a palma da mão, aponta o meio dela e continua: “Mas vai comer aqui; ó!”

Ao presenciar tamanho disparate oriundo de quem me desconhece, sorri e propus aos presentes que aguardássemos, pois o mundo tem suas inúmeras voltas. Os anos decorreram e Barbosa Neto foi eleito prefeito em 2008. Sua candidatura foi impugnada. Não entrarei em detalhes por considerá-los desnecessários ao relato. Em 29 de Março 2009 o elegeram prefeito. Pois não é que ele escolheu para residir, o mesmo bairro conhecidamente insigne, ao qual no referido programa, Barbosa maculou e cuspiu? Quem cospe para cima... Fosse eu, elegeria outro!

Atualidade. Maio e Junho 2011.

Os noticiários televisivos e jornalísticos de Londrina estão impregnados de acusações a políticos desta cidade, sendo Barbosa Neto e sua esposa, envolvidos em situações vexatórias. Obviamente, ele, a tudo nega. É seu direito. Contudo, não revidarei seu atrevimento daquele então e os maus conceitos que esbravejou contra minha pessoa, utilizando-me deste meio para aproveitar-me acusando-o, por não ser vingativa e tampouco conviver com ele. Mas, pergunto: Prefeito considerado imperfeito? Já se dignou relembrar suas palavras a mim dirigidas e se perguntou em que “Mão” estará comendo? Na minha, assevero que não. Não fosse a “cuspideira” que está levando, talvez conseguisse ser reeleito. Em todo o caso, resta aguardar.

Não sou exatamente o que conhecem como vidente. Tenho sim, forte intuição que jamais falhou. Diante disso e em um gesto oposto ao rancor, lhe sugiro que se ponha de alerta porque intuo que outras “cusparadas” estão no seu caminho.

Nas publicações abaixo deixarei fora do contexto aos demais envolvidos nas acusações, por não serem relevantes ao tema que estou tratando.

Segmentos:

 

 



Actualizado: Segunda, 29 de Outubro de 2018 20:09
 
Banner