Escrito por Valentina De Andrade   
Quinta, 13 de Maio de 2010 19:02

 

27-04-04
CRIANÇAS DE ALTAMIRA – CONDENAÇÕES INJUSTAS

... Nesta data foi divulgado no Jornal Hoje, da Rede Globo, que o réu FRANCISCO CHAGAS, confessou à polícia do Maranhão, ter sido o autor dos crimes de Altamira, fato que dará reviravolta em todo caso, levando, com certeza, à revisão das condenações.

O Deputado Pastor Reinaldo afirma: "Desde o início de todo processo contra os acusado já havia sido detectado falhas e erros, ao ponto deles terem sido impronunciados pelo juiz de primeira instância. O Júri e as condenações dos acusados só aconteceram para se dar uma satisfação às pressões externas de ONG´s nacionais e internacionais, para provar que estava errado o Relatório da observadora da ONU, que alegou que nosso Judiciário é falho e que a impunidade impera neste país. No entanto, condenar inocentes é tão grave quanto praticar impunidade. Não podemos deixar na cadeia pessoas idôneas por medo de pressões externas. Se o Judiciário do Pará errou, que o erro seja reparado. Que a Justiça seja feita."

 

06-06-04
Novos rumos para processo dos emasculados

ADVOGADO DISPARA EM CRÍTICAS CONTRA POLÍCIA E DIZ QUE RÉUS FORAM CONDENADOS INJUSTAMENTE
... Em sua avaliação, o clima que reinou no júri que teve como ré a vidente Valentina de Andrade -cuja absolvição foi "justíssima!"- foi de total intimidação para a defesa, posto que o auditório estava tomado por parentes das vítimas, o prédio do tribunal cercado por manifestantes de Altamira, autoridades do Ministério da Justiça e representantes da Comissão dos Direitos Humanos se faziam também presentes, inclusive o secretário dos Direitos Humanos, Nilmário Miranda.

"Havia uma espécie de coação sobre os acusados e especialmente sobre os jurados", afirma Jânio Siqueira. O advogado reclama ainda da falta de espaço concedido por certos setores da Imprensa que não deram à defesa o mesmo espaço dado à acusação.

... Em sua opinião, a absolvição da Valentina foi mais do que justa. "Simplesmente, a Opinião Pública não tem conhecimento do processo e se deixa influenciar pelas manchetes de jornal. Mas se pudesse mergulhar nas provas do processo, iria ver que realmente não existe nada contra essa senhora como não existia nada contra nenhum dos acusados", assevera, salientando que todas as provas do processo foram montadas. Ele criticou de forma veemente a testemunha Edmilson Frazão, apresentado no processo do caso Valentina, taxando-o de ser pessoa sem idoneidade moral, posto que já se envolveu inclusive com caso de estupro.

... Para Jânio, a condenação de seus clientes foi feita de forma política e "calçada em uma tremenda farsa para dar testemunho injusto a um caso mal investigado."

"Tanto digo isto que esses julgamentos que a sociedade presenciou, foram em torno das mortes de apenas cinco crianças, quando sabemos que foram mortas doze crianças em Altamira. Por aí, vocês mesmos podem fazer julgamento quanto à forma como as coisas foram tratadas", dispara.

 

Com a palavra o Sr. Cláudio Dalledone Júnior.
... mesmo com o massacre da imprensa e o preconceito, principalmente de entidades ligadas à Igreja Católica, mesmo com ONGs que forneciam material, subsídio, apoio operacional e técnico à acusação. Nunca vi acusação igual: era composta pelo Promotor de Justiça, pelos assistentes de acusação e -pasmem, Sres. Deputados- por um assessor de imprensa. Existia um Júri ali e outro para a mídia nacional. Um massacre, um linchamento. Não consigo chamar de outra coisa a não ser de linchamento.

... O que se percebe com clareza é que a Policia Federal trouxe todas as informações de 1992, da cidade de Guaratuba, e fez uma cópia mal feita. Lá eram 7 acusados de ritual de magia negra com crianças, e não existia emasculação. Trouxe essas informações -e isso está muito claro no processo, de quase 80 volumes hoje- para Altamira, no Pará, e lá engendrou, por intermédio de um delegado chamado Éder Mauro, tido e havido na crônica policial do Estado como criador de assassinos. Isso a imprensa noticia. Ele, em 7 dias, resolveu o que em décadas não se resolveu. Somada a informação desse agente da Polícia Federal, passa-se, então, a estabelecer um processo, em que 7 acusados responderiam por suposto e fantasioso ritual satânico.

Havia uma única testemunha: um alcagüete da Polícia, chamado Edmilson Frazão, que hoje soma ainda mais duas qualidades: ele é condenado por estupro e por estelionato. Uma testemunha que, do ponto de vista da idoneidade, tem nota zero. Essa era a grande testemunha da acusação.

Foi um processo que gerou a condenação de 4 pessoas. No entanto, foi feito mais de acordo com os holofotes da mídia do que propriamente com a prova produzida ali.

 



Actualizado: Segunda, 29 de Outubro de 2018 20:09
 
Banner