Escrito por Valentina De Andrade   
Quinta, 13 de Maio de 2010 19:02

 

Desanuviando a mente.

 

UM REGALO DANIFICADOR.


Em paz eu me encontrava quando chegaste de repente como um grande presente que meu interior ansiava. Acolhi-te entre meus braços e curei tuas chagas. Quanto te Amei desde o momento em que te aproximaste. Sabes? Antes de te conhecer já te esperava. O tempo foi passando. Ensinei-te a "caminhar" e indiquei o Rumo Certo que deverias seguir. A tudo aceitavas ante mim, mas dissimulavas. Nada te neguei, mesmo sabendo que um dia te perderia. Porém, a dor de te perder era maior do que dar-te o que eu supunha, poderia te agradar. Cresceste e te justaste a pássaros bicudos. Cousa alguma te faltou, contudo, eu percebia que surpresas e segredos danosos e imerecidos com respeito a mim, tu escondias. Por que não compartiste comigo aquelas "melodias," se tudo contigo, partilhei? E mesmo sabendo o que estava por acontecer, gavetas repletas do mais fino "recheio" a vocês entreguei, não por inocência, mas para que no momento certo, tua verdade e a dos outros ficassem mostradas. A tudo facultei e não valorizaste e menos, te deste ao luxo de pensar o mal que me causarias. Eu te justifiquei porque muito te Amava e esperava que acordasses. O tempo foi passando e percebi que estava te perdendo, mas continuei pedindo: Deixa-me te Amar! Todavia, tua consciência mostrou-se tão fria! De mim, recebeste exemplos de dignidade, compreensão e o mais importante: Amor. A teus erros e conflitos, socorri. Abri-te a porta e sentada a meu lado me dispus a te escutar. Porém, vocês transportavam às escondidas, planejamentos que jogaste. Esse é o Amor que disseste sentir por mim? Foi um terrível "presente" o que me entregaram. Quando te abri novamente à porta, eu tinha planos: Fazer-te feliz junto a mim. Entretanto, o que impedi que soubesses, foi que ao permitir tua entrada, meu Sentir alertou-me; de que já te havia perdido!

 

Londrina, 2007.




Actualizado: Segunda, 29 de Outubro de 2018 20:09
 
Banner