Escrito por Valentina De Andrade   
Quinta, 13 de Maio de 2010 19:02

 

“A vidente Valentina:”

Assim fui denominada em inúmeras manchetes jornalísticas. E uma vez que encerro aqui, parte das minhas vivências, deixarei uma pista. Alguns poucos repórteres obtiveram através de ex-participantes de L.U.S., detalhes da realidade, contudo, por tratar-se de algo extraordinário, sentiram-se duvidosos em divulgá-las. Assim, o motivo pelo qual pedi aos amigos que jamais dessem a conhecer os fatos, deveu-se a que; se o “mundo” tomasse conhecimento eu não mais poderia sequer respirar em paz.

Conta o ditado que uma mulher para se dizer realizada, deverá ter filhos, plantar uma árvore e escrever um livro. Superei a todos os requisitos. Muito eu ainda poderia seguir escrevendo, mas considero suficiente o que está após analisar: Desde a adolescência responsabilizei-me pelos erros de outrem. Cresci e durante longos anos venho solucionando problemas e conflitos alheios. O fardo tem sido pesadíssimo. Conseqüência: Exaustão mental e física. Assim que, opto -sem deixar de lado as Verdades- por transitar um caminho não antes percorrido: Pensar em mim, o que não significa que adentrarei a lista daqueles que se acomodam na crença de encontrar-se realizados. Deparo-me também, com uma das mais fortes características que possuo: Evitar ao máximo possível, que terceiros se ocupem de trabalhos que me correspondem. Em vista disso, de agora em diante, os sites que levam meu nome estarão -salvo porventura em alguma exceção- unicamente no idioma português. Agradeço aos leitores pela compreensão e respeito com que me têm distinguido.

 



Actualizado: Segunda, 29 de Outubro de 2018 20:09
 
Banner